Gravidez pos bariatrica

Vou relatar resumidamente como foi minha cirurgia, o pós operatório e a gestação, fora de época (mas muito desejada) pós a bariátrica.


Porque fiz a cirurgia:

Minha infância já foi com sobre peso. Adolescência então nem se fala! Então, no começo da minha vida adulta fiz uma super dieta e perdi mais de 20 kg, ficando assim dentro o peso normal. Usava roupas tamanho 36 - 38 e me sentia bonita. Academia era todos os dias, aproximadamente 2h por dia... cuidava muito da alimentação, posso dizer que até demais, pois não passava de 800 kcal no dia. Até que sofri umas decepções e entrei em depressão. Larguei a academia, comecei a comer compulsivamente, não tinha vontade de fazer nada e com isso fui "aos poucos" ganhando peso novamente - nesse meio tempo conheci o Ricardo(hoje meu marido)- e quando me vi (depois de casada já), pouco mais de um ano depois, pesando mais de 100 kg, sendo que tenho 1,52 m de altura. 

Entrei em desespero, pois, morando em apartamento eu mal conseguia subir as escadas pra chegar em minha casa. Tentei algumas dietas, caminhadas, mas meu exames estavam muito alterados, comecei com remédios para diabetes, tireoide, estômago .... eram 8 comprimidos por dia. 

Foi então que tomei a decisão: Iria fazer a redução de estômago!! Pesquisei. Li muito. Conversei com muitas pessoas que já tinham feito a tal cirurgia e sempre ouvia a mesma coisa: "Fiz, faria novamente mas não indico pra ninguém!", e eu pensava que se faria novamente então não devia ser tããão ruim, não é?! 

Fui a uma consulta com uma dr. especialista com bariátrica e ela pediu diversos exames, mas não me senti segura com ela. Me indicaram então o dr. Sena, marquei consulta com ele, quase 2 meses de espera, e fui à consulta, de cara já senti que ele é um bom profissional, me explicou meio por cima como seria a cirurgia, em caso de comprovada a necessidade dessa intervenção. Nessa consulta ele pediu vários e vários exames, e explicou que uma das exigências dele para realizar a cirurgia, era comparecer a uma palestra que ele realiza, onde é detalhada toda a recuperação pós cirurgia, quais os tipos de cirurgia etc. Essa palestra é realizada 1 vez por mês no Hospital São Vicente em Curitiba e para comparecer é necessário deixar o nome com uma das secretárias do dr. Sena, pode ir à palestra com quantos acompanhantes quiser. No caso, fui com minha mãe e marido, os dois totalmente contra eu realizar a bariátrica. Lá tive mais certeza que faria a redução, e escolhi o método: A Capella. Que além de desligar cerca de 70% do estômago, desliga 1/3 do intestino, diminuindo assim a possibilidade de voltar a engordar, ressaltando: DIMINUINDO, e não tornando impossível. 

Quase dois meses após a palestra fui para mesa de cirurgia, aih você se pergunta: Por que tanto tempo? Gente do Céu, vocês não têm ideia de quantos exames precisam ser feitos para essa cirurgia, quantos médicos a gente precisa ir, fora consultas com psicólogos e tal... É um preparo muito demorado e complicado. Até que, no dia 17/10/2011 fiz a gastroplastia!

-> Liberação pela CASSI (Cirurgia Bariátrica) <-

Como penei muito pesquisando na net como seria a liberação da cirurgia pelo meu plano, e se eles cobriam essa intervenção, decidi relatar aqui como funcionou pra outras pessoas que precisem dessas informações.

No meu caso foi até simples.

Precisei de uma declaração informando a necessidade, e autorização, para a cirurgia dos seguintes médicos:

- Gastroenterologista (que irá fazer a cirurgia);
- Endocrinologista
- Cardiologista
- Psicológo
- Nutricionista
- Qualquer médico que comprove que houve uma tentativa de emagrecimendo por no minimo 2 anos pelo futuro operado (o médico tem que escrever uma carta dizendo que acompanhou a tentativa)

Depois de reúnidas essas cartas, leguei para a unidade da cassi do meu estado e marquei uma entrevista para liberação do procedimento.
Nessa entrevista levei todos os exames que cada um dos médicos relacionados acima, e as cartas.
A médica que me entrevistou olhou cada exame e carta, questionou se eu realmente havia tantado emagrecer, o que fiz nessas tentativas e se eu tinha alguma comorbidade(doeça causada pela obesidade), contei do começo de diabetes, e inflamação no nervo ciatico. Então, ela liberou a cirurgia e na mesma data marquei a cirurgia para dali 15 dias.
A conversa durou no méximo 10 minutos. Pra mim foi bem tranquilo.

É isso pessoal, se alguém aí tiver mais alguma duvida quanto a autorização pela Cassi é só me mandar um e-mail, o endereço ta ali em - contato-.

Como foi o pós operatório:

Minha cirurgia durou pouco mais de 4h. Fiquei na ala de observação, tipo uma UTI, por mais algumas horas e então fui para o quarto. O retorno da anestesia foi um tanto engraçada, é um termo meio complicado de se usar, mas é mais ou menos isso, quem já fez endoscopia vai entender como é, pois é muuuito parecido com a anestesia que recebemos lá. No retorno ficamos mole, tontos, falando nada com nada, dormindo do nada... mas não é ruim não.. só estranho mesmo. Quando acordei de vez, era como se nada tivesse acontecido, se não fossem os furinhos na barriga eu não acreditaria que realmente havia feito a cirurgia. Como sou uma "viciada" em água, foi muito complicado ficar o dia sem beber, tem que ficar mais de 12h sem beber nadinha de água, mesmo com o soro eu ficava com a boca seca e não podia tomar nada.

 Ahh lembrando que logo que a gente retorna da anestesia tem que andar, andar pelo quarto até a zonzeira passar e depois pelos corredores do hospital, é terminantemente proibido ficar parado pelo risco de trombose.

Depois desse período de seca total, vêm as enfermeiras para o primeiro gole de água, é uma expectativa de todo o povo em torno desse primeiro gole. Um copinho de café na mão, com metade dele com água e elas mandam só molhar a boca e engolir, e digo a vocês que a gente não entendo o motivo disso tudo, uma vez que parece que ta tudo como antes, a nossa cabeça não acompanha o que ocorreu dentro da gente, levei o copinho à boca lentamente e bebi o tal mini gole, e elas reagiram comemorando de uma forma muito estranha. Tudo estava bem. Depois disso, de 2 em 2h vinha uma água salgada para tomar, 50 ml de água salgada, e no restante do tempo tinha que molhar a boca com água e Gatorade ou ainda água de coco, e claro, andar e andar muito.

3 dias depois da cirurgia saí do hospital, em casa as coisas começaram a complicar, comecei a ter muitas fraquezas, desmaios e não entendiamos o motivo disso pois seguíamos certinho todas as recomendações, mas fomos levando assim mesmo. Quando entrei na dieta pastosa, que é 15 dias após a gastro, nessa fase em vez da água da do cozimento de legumes, a gente bate no liquidificador o legumes com a tal água do cozimento, ficando um caldo grossinho, que eu acho horrível demais da conta, prefiro só a água ... mas é obrigatório isso viu!! E em vez de 50 ml, passa pra 100ml, mas eu não conseguia tomar tudo, e fui ficando mais fraca, até que tive que ir pro hospital fazer uma endoscopia para reabrir o estomago que estava grudando pela falta do alimento. Voltei pra casa e continuamos na batalha, até que fiquei doente novamente, com sinusite muito forte, detalheeeee .. como tomaria o comprimido do antibiótico??? Não tinha como, moíamos e eu bebia com suco ou água, mas foi piorando a sinusite e fui pro hospital novamente, e a infecção tava tão forte que me internaram, mas o antibiótico na forma venosa me deu reação alérgica. Foi um momento complicado, mas superamos.

Voltei a trabalhar, até que... 4 meses depois minha vesícula inflamou, o que geralmente acontece com quem passa pela gastroplastia, e tive que fazer outra cirurgia, dessa vez para retirada da vesícula que estava necrosando... e acredite quem quiser, essa cirurgia é muito muito mas muito pior que a outra, sofri demais nas primeiras horas depois de retornar da anestesia, desmaiei de tanta dor, e demorei para me recuperar mesmo, mas Deus ajudou e superamos também essa fase. Então... fui emagrecendo e quando estava com quase 40 kg a mesmo, 8 meses após a bariátrica, 4 meses após a retirada da vesícula, eis que descobrimos um feijãozinho na minha barriga, feijãozinho é como chamávamos a Manuzinha antes de descobrir que ela é menina e escolhermos o nome. Eu estava grávida, antes do tempo e com uma gestação de alto risco devido a ser tão cedo.

Como foi/está sendo a gestação: 


Primeiramente vou contar como descobri a gestação.
Andava me sentindo sonolenta e enjoada, até brinquei, em uma terça - feira, com o pessoal do trabalho dizendo: "Acho que to grávida heim...". Minha menstruação estava atrasa a 1 dia, na mesma semana fiz um exame de farmácia e não acreditei na segunda listrinha, comprei mais dois exames e ambos apresentaram a segunda listrinha. Na hora, dentro do banheiro do meu trabalho mesmo, ajoelhei e agradeci a Deus pela vida em meu ventre. Passei mal algumas horas depois e tive que ir ao hospital, lá o médico pediu um beta que confirmou minha felicidade. Sabia que a partir daquele dia tudo ia mudar e que seria difícil... estava disposta a passar por qualquer coisa por meu bebê.


Com esse resultado em mãos, fiz uma surpresa para meu marido, que sempre teve o sonho de ser pai:


" Agora, aqui dentro, batem dois corações por você ... Te amo"

Foi emocionante, ele chorou e me abraçou sem palavras de tão feliz.
Já a reação dos meus pais foi bem diferente. Ficaram nervosos e não aceitaram nada bem. Mas dois dias depois isso mudou e hoje são avós babões...

Logo que tive certeza da gestação entrei em contato com o médico que fez minhas cirurgias e contei da surpresa, ele ficou nervoso mas disse para apenas fazer os exames que ele já havia pedido, continuar com as vitaminas que eu já tomava e procurar um obstetra.

Assim fiz, mas ... duas semanas depois começaram as complicações, dores... tonturas e náuseas. O obstetra  que me acompanhava na época disse que as dores se tornariam cada vez maiores, conforme o bebê fosse crescendo, uma vez que meu intestino ainda não havia cicatrizado. As tonturas se davam devido a anemia e tudo demais deficiências de vitaminas... e as náuseas, normais da gravidez...

Fiquei com as dores e fraquezas fui levando até que nãos conseguia mais ficar em pé, precisava de ajuda até pra ir ao banheiro. Então, troquei de G.O. O novo me internou logo que me viu, mas não sabia o que fazer para me ajudar... isso aos 4 meses de gestação. Fiquei vários dias no hospital, e até banho as enfermeiras tinham que me dar pois eu não parava em pé nem 10 segundos... foi triste.

Até que o médico me deu alta dizendo que era arriscado pegar infecções, e que ele não sabia mais o que fazer... Troquei de G.O novamente. Depois disso fui internada várias vezes, desmaiei muitas e muitas vezes, na rua, no trabalho, no carro e em casa. Mas, graças a Deus, as dores quase sumiram e minha bebê se desenvolveu normalmente. Mesmo com o médico tendo dito que ela seria pequena e nasceria prematura... tínhamos e temos fé que tudo daria certo...

Em janeiro fui afastada do trabalho, após ter desmaiado e dado um susto no chefe e colegas de trabalho.
Desde então estou em casa, minha mãe pediu exoneração do trabalho dela (era funcionária pública), pra cuidar de mim e depois da nossa Manuzinha...
estamos com 9 meses de gestação, não se cumpriu o dito pelo médico, do baixo peso e prematura.. estamos nos últimos dias pra chegada da nossa princesinha!! E quando vê - la vou dizer: VALEU A PENA!!!





 

Nenhum comentário

Postar um comentário